C65T : Sobre a Febre da Área Pedonal

Tenho o sonho de tornar a Avenida da Liberdade numa grande Alameda.

Eng. Mesquita Machado

Sou contrário a isso porque agrava os problemas do tráfego, e, ao mesmo tempo, torna as ruas mais inseguras durante a noite, provocando a fuga dos habitantes. Basta observar as ruas reservadas a peões na Holanda, pro exemplo em Haia, para nos apercebermos deste problema.

Prefiro a convivência entre peões e automóveis, que é tão viva em Roma, na multiplicidade dos diálogos e porventura dos insultos. Considero que é indispensável evitar pontos de ruptura na continuidade da cidade. Esta insistência paternalista em reduzir ou eliminar os perigos é contraproducente, porque quando uma pessoa sai de uma rua reservada a peões encontra repentinamente todas aquelas ameaças das quais está menos habituada a defender-se.

O peão sabe mover-se na cidade, ser serem necessárias protecções obsessivas, como demonstram os quilómetros  de canais em Veneza, sem parapeitos e sem vítimas.

Arq. Álvaro Siza Vieira em Imaginar a Evidência

Anúncios